Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Lava-RápidoPosto implanta sistema e economiza 70% de água

AGO 21, 2014

Dono reduziu a conta de água em 50% no fim do mês. Equipamento permite que a água do posto seja reutilizada.

Uma rede de postos de combustíveis em Santos, no litoral de São Paulo, implantou uma tecnologia que permite economizar quase 70% da água utilizada nos estabelecimentos. Para o proprietário, em uma época em que falta água em muitos lugares do País, é importante ser consciente e não desperdiçar. Apesar de o investimento ser alto, o empresário reduziu a conta de água em 50% no fim do mês.

Ricardo Rodriguez Lopez, de 58 anos, é o dono da rede de postos e, já há alguns anos, tinha a ideia de reduzir a quantidade de água utilizada nos comércios. Este ano, ele comprou um conjunto de equipamentos que custou cerca de R$ 50 mil e montou um sistema de reutilização de água.

A água utilizada nos banheiros, na lavagem dos vidros dos carros e no lava-rápido, onde se consome mais, já está sendo reaproveitada. O líquido sujo cai em uma caixa que o separa do óleo e de outros componentes. Depois, a água passa por uma caixa de decantação e um filtro. “A filtragem é automática, computadorizada. A capacidade é de três mil litros de água por hora”, comenta o dono.

No final do processo, a água é direcionada para um reservatório de cinco mil litros. Segundo o proprietário, a caixa também recebe água nova. Assim, elas se misturam e podem ser usadas novamente pelos serviços do posto. “É água filtrada, clorada e tudo, mas não é para consumo, é só para utilizar no posto”, alerta.

Os dois postos de combustíveis realizam, juntos, cerca de 10 mil lavagens mensais. O serviço é o que mais utiliza água, começa por volta das 6h e é encerrado às 20h. Em dois meses, o dono já sente a economia. "Pode-se dizer que 70% da água é reutilizada”, diz Lopez.

O investimento foi grande mas, para ele, o custo-benefício é maior. “O filtro, uma vez por ano, tem que ser trocado. Tem a manutenção, mas é só. É uma economia de 50% na conta. Em dois ou três anos, você recupera o capital investido. Quanto mais movimento tem, mais rápido é o retorno”, explica.

Além do novo sistema, o posto já aplicava medidas para economizar e causar o menor impacto possível ao meio ambiente. As torneiras são automáticas e as mangueiras de alta pressão, que permitem 80% de economia em relação às mangueiras comuns. “Todo mundo quer ser bem atendido, e se o cliente souber que tem o aproveitamento da água, vai gostar também”, afirma o comerciante.

FONTE: G1 SANTOS


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas