Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Meio AmbienteMeio ambiente: Uso de fontes renováveis ajuda a preservar a natureza e ainda reduz custos


Quando o tema é observado sob uma visão empresarial, além de ações concretas pela sustentabilidade, medidas implantadas na rotina das empresas podem resultar em redução de custos e empreendimentos ambientalmente mais eficientes.

JUL 18, 2022

Matéria publicada na edição de junho/2022 da Revista Postos & Serviços

Celebrado em 5 de Junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente é, sem dúvidas, uma oportunidade para ampliar a conscientização da sociedade sobre o assunto. No entanto, quando esse tema é observado sob uma visão empresarial, além de ações concretas pela sustentabilidade, medidas implantadas na rotina das empresas podem resultar em redução de custos e empreendimentos ambientalmente mais eficientes.

“Pensar em meio ambiente hoje pode ser uma grande oportunidade para os negócios. Fazer além do que é exigido para o licenciamento ambiental, por exemplo, pode atrair clientes e ainda reduzir os custos”, aconselha a advogada e consultora ambiental do Resan, Carolina Dutra.

Gerir resíduos (sejam eles de embalagens, lubrificantes, papelaria e de cozinha) já são procedimentos conhecidos e adotados pela maioria das empresas do setor automotivo. Por isso, é preciso observar e analisar novas oportunidades.

A utilização de energia renovável, por exemplo, tem se mostrado em ascensão. No setor de postos, além da possibilidade de instalar sistemas fotovoltaicos (com painéis solares), hoje é possível adquirir energia elétrica limpa através de outras formas, por exemplo geração compartilhada ou painel solar na própria empresa/residência. Algumas distribuidoras de combustíveis estão lançando iniciativas nesse sentido.

A Raízen, licenciada da marca Shell, já fornece energia limpa para mais de 500 postos por meio de Geração Distribuída, oferecendo uma solução para redução das emissões de gases de efeito estufa e diminuição de até 20% dos custos de energia.

“Nós geramos a nossa própria energia por meio de fontes renováveis oriundas da cana-de-açúcar, como a biomassa, biogás e biometano. Mas também complementamos o portfólio com energia solar, pequenas hidrelétricas e aterros urbanos para atender os consumidores de Geração Distribuída em território nacional”, explica Rafael Rebello, diretor de Soluções de Energia e Renováveis da Raízen.

"Oferecemos soluções em energia renovável para nossos revendedores de diversas formas, seja para clientes do mercado cativo ou livre de energia, baixa ou alta tensão, ou através de serviços de gestão e eficiência energética", afirma ele.

Proprietário da Rede Gavazzoni, no Vale do Ribeira, Vilmar Gavazzoni assinou recentemente esse serviço com a Raízen. “Nos dias de hoje, qualquer economia é bem-vinda. Assinei o contrato para três postos, então acredito que o total economizado ao longo de um ano poderá ser significativo”, comenta o empresário. “Estamos estimando uma economia de aproximadamente 10% no valor pago na conta de energia elétrica. Eu hesitei inicialmente, pois achei que daria muito trabalho, mas não. Não tive nenhum custo, apenas assinei o contrato, que vale por cinco anos, mas que pode ser rescindido a qualquer momento”, conta Gavazzoni.

Diretor vice-presidente executivo de Comercial, Varejo e Inteligência de Mercado da Vibra Energia, Flavio Coelho Dantas, também confirma a aposta da distribuidora nesse mercado.

“Neste sentido, em 2021, fizemos parcerias, joint venture e aquisições, como a compra de quase 50% da Comerc, para o fornecimento de energia elétrica renovável; a Joint Venture com a Copersucar, para disponibilizar uma comercializadora de etanol; parceria com a ZEG Biogás, para a produção de biometano a partir da vinhaça; com a BBF, onde somos offtaker de toda a produção da primeira biorrefinaria de diesel verde e combustível sustentável da aviação do país; com a EZVolt, para o avanço do mercado de eletromobilidade”. conta o executivo da Vibra.

“Já existe a oferta para que os postos possam adquirir energia elétrica do mercado livre, via Comerc, o que traz um custo mais competitivo, além de garantir que a energia é originada de fontes renováveis. Há, ainda, projetos de Geração Distribuída, que é a geração de energia solar nos próprios postos”, acrescenta Dantas.

“Para o futuro, penso em investir em algum projeto com painéis solares para produzir minha própria energia. Ainda é algo caro, mas acredito que haverá um barateamento (desses projetos), então penso nisso a longo prazo”, planeja o empresário Vilmar Gavazzoni.

Painéis solares

Proprietário da Rede Portal de Santos, Ricardo Lopez também faz uso da energia limpa para reduzir os custos com energia elétrica e ainda contribuir para o meio ambiente. O empresário instalou o sistema há cerca de três anos em sua residência.

“Antes de decidir pela instalação das placas solares, é preciso avaliar bem a localização. Geralmente os postos urbanos estão localizados em áreas com muitos prédios, cujas sombras acabam atrapalhando. Optei por instalar na minha residência, onde tenho as placas e produzo minha própria energia”, conta Lopez, cujo sistema instalado ocupa 200 metros quadrados e produz energia para abastecer outros dois imóveis cadastrados pelo empresário.

Além disso, ele conta que a energia excedente produzida entra como crédito em sua conta. Segundo o empresário, o retorno do investimento deve ocorrer em no máximo dois anos.

 

Cresce interesse por painéis solares

Apesar ainda de exigir um investimento muitas vezes alto, o sistema fotovoltaico (com o uso de painéis solares) é um modelo de geração de energia viável financeiramente, com baixo custo de manutenção, montagem rápida sem a necessidade de muitas adequações, vida útil alta (aproximadamente 25 anos) e com retorno de investimento em curto prazo.

“Cada vez mais os postos de combustíveis estão aderindo à implementação da tecnologia, pois é possível reduzir os custos com energia elétrica em até 95%, fazendo com que o negócio se torne mais competitivo, além de anexar um selo verde (ambiental) ao posto”, afirma Diogo Oliveira, diretor comercial da Segundo Sol Engenharia, empresa especializada na instalação de sistemas fotovoltaicos.

Segundo Oliveira, dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) apontam que, para 2022, acredita-se em números ainda maiores do que os apresentados neste ano, já que desde 2020, só a GD (geração distribuída) fotovoltaica vem crescendo cerca de 230% ao ano no Brasil.

Relacionamento com concessionária

As tratativas com a concessionária são regulamentadas pela ANEEL (REN482/12 e REN687/15), todas as tratativas são padronizadas conforme as premissas normativas de cada concessionária, é muito importante que a empresa que está prestando o serviço execute os projetos e emitam toda a documentação técnica e homologatória de acordo com as exigências normativas para evitar reprovações, além de ser necessário estudo preliminar de engenharia e em alguns casos consulta de acesso a rede da concessionária.


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas