Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Loja de ConveniênciaAssinada CCT para conveniências


Foi assinada, em 30 de novembro, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2021-2023 para as lojas de conveniência (com CNPJ diferente do posto). O documento foi celebrado entre o Sindicombustíveis Resan e o Sinthores. Foto: Lídia Nardi/Resan

DEZ 28, 2021

Matéria publicação na edição de dezembro/2021 da Revista Postos & Serviços

Foi assinada, em 30 de novembro, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2021-2023 para as lojas de conveniência (com CNPJ diferente do posto). O documento foi celebrado entre o Sindicombustíveis Resan e o Sindicato dos Trabalhadores em Comércio Hoteleiro e Similares de Santos, Baixada Santista, Litoral e Vale do Ribeira (Sinthores) e abrange os empregados, prestadores de serviços, terceirizados e autônomos junto às empresas de Loja de Conveniência, dentro dos Postos de Gasolina ou Abastecimento, e assemelhados em geral, nas cidades de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão, Praia Grande, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, Iguape, Cananéia, Ilha Comprida, Eldorado, Itariri, Juquiá, Pariquera- -Açu, Registro, Jacupiranga, Miracatu, Pedro de Toledo, Sete Barras, Cajati e Barra do Turvo.

Conforme a nova CCT, os trabalhadores da categoria representada pelo sindicato profissional receberão reajuste salarial na base de 15,84% (quinze vírgula oitenta e quatro por cento), a partir de 01 de novembro de 2021, incidente sobre os salários praticados no último mês de outubro.

Além disso, foi estabelecido um salário normativo mensal no valor de R$ 1.631,30 (um mil, seiscentos e trinta e um reais e trinta centavos), a partir de 1º de novembro de 2021, para uma jornada de 220 (duzentos e vinte) horas mensais.

Piso de ingresso

Com o objetivo de qualificar a mão de obra para integrar as categorias profissional e econômica e também para incentivar a geração de empregos, as empresas poderão contratar mediante anotação do contrato em CTPS e para pagamento de um “Piso de Ingresso” correspondente a 85% (oitenta e cinco por cento) do valor do piso normativo, desde que, cumulativamente, respeitem as seguintes condições:

a) O trabalhador nunca tenha laborado em qualquer empresa da categoria representada pela entidade sindical patronal;

b) A contratação com o “Piso de Ingresso” não poderá exceder 150 dias. Passado esse período, o empregador deverá majorar o piso normativo para, no mínimo, R$ 1.631,30, desde que seja mantido o contrato de trabalho.


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas