Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Postos & ServiçosPesquisa mostra uso de apps nos postos da região


Levantamento feito pelo Sindicombustíveis Resan entre os dias 07 e 21 de maio apontou que 89,2% dos estabelecimentos aceitam algum tipo de app na hora do pagamento. Ainda de acordo com a pesquisa amostral, 8,1% nunca aceitaram essas ferramenta e 2,7% já aceitaram durante um período.

JUN 11, 2021

Matéria publicada na Revista Postos & Serviços em maio de 2021.

A utilização de aplicativos para pagamento na hora do abastecimento está presente na grande maioria dos postos revendedores
da Baixada Santista e do Vale do Ribeira.

Levantamento feito pelo Sindicombustíveis Resan entre os dias 07 e 21 de maio ouviu 37 empresas associadas da região (de um total de 195) e apontou que 89,2% dos estabelecimentos aceitam algum tipo de app na hora do pagamento. Ainda de acordo com a pesquisa amostral, 8,1% nunca aceitaram essas ferramentas e 2,7% já aceitaram durante um período, mas deixaram de receber através de aplicativos.

Para 75,7% daqueles que recebem via aplicativos, os pagamentos através de apps representam no máximo 10% das vendas. Além disso, para 43,2% dos associados participantes, os aplicativos não incrementaram as vendas.

"O objetivo da nossa pesquisa foi dimensionar a utilização dos aplicativos ligados às distribuidoras e, dessa forma, defender, orientar e trabalhar pelos legítimos interesses dos postos revendedores associados", afirma o presidente do Resan, José Camargo
Hernandes. "Precisamos estar preparados a buscar alternativas para eventuais problemas e insatisfações no uso dessas ferramentas", explica.

Apesar de a pesquisa indicar que 50% dos revendedores estão satisfeitos com o uso dos aplicativos disponibilizados pelas distribuidoras, alguns participantes demonstraram insatisfação com os apps.

Queixas

Problemas na hora do pagamento estão entre as maiores queixas dos associados.

"Em muitos casos, o cliente não consegue efetuar o pagamento através do aplicativos e ele precisa dirigir-se ao caixa, não fazendo sentido a proposta de celeridade atrelado ao uso do aplicativo", manifestou--se um dos postos.

"Muitas vezes, o app anuncia o pagamento efetuado, porém a nota emitida pelo aplicativo apresenta o pagamento como 'pendente', criando um atrito entre o cliente e o posto", contou outro participante da pesquisa.

Para outros postos, houve problema quando a distribuidora limitou o programa de cashback que era oferecido aos clientes. "Quando limitaram o cashback da noite para o dia, os clientes ficaram insatisfeitos com o posto", reclamou uma revendedora.

Ainda de acordo com a pesquisa, 73% dos postos afirmam já ter recebido reclamações de consumidores referentes a problemas no uso dos aplicativos, sendo que 21,6% deles dizem que isso acontece com frequência.

Cadastro

Um questão a qual o dono de posto precisa ficar atento diz respeito aos dados preenchidos pelos clientes na hora do acadastro no aplicativo.

De acordo com 86,5% dos associados que responderam à pesquisa, as administradoras não compartilham as  informações pessoais registradas pelos consumidores.

Ocorre que, desde o ano passado, está em vigor no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados, que determina penalidade em cado de vazamento de dados sensíveis de pessoas físicas.

O ideal é que os postos fiquem atentos na hora de fazer campanha para que clientes se cadastrem no apps. A responsabilidade
direta por essas informaçoes pessoais dos consumidores é das administradoras, que oficialmente controla esses dados.


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas