Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

PrevidênciaMetas para primeiros cem dias não incluem a Previdência

JAN 24, 2019

O ministro-chefe da Casa Civil apresentou a agenda para os primeiros cem dias de governo do presidente Jair Bolsonaro. No programa com as ações prioritárias, no entanto, não está incluída a reforma da Previdência.

O Globo 
 

24/01/2019 – O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, apresentou ontem a agenda para os primeiros cem dias de governo do presidente Jair Bolsonaro. No programa com as ações prioritárias, no entanto, não está incluída a reforma da Previdência, considerada a principal medida econômica a ser adotada pelo governo.

Durante entrevista coletiva após apresentar as metas, Onyx afirmou que a Previdência não entrou no pacote porque, assim como a reforma tributária, é uma questão complexa e que ainda está em análise. O ministro ressaltou, contudo, que a proposta será apresentada “nos próximos dias”:

— (As reformas da) Previdência e tributária são questões complexas, que ainda estão em análise. Temos uma equipe competente no Ministério da Economia. O presidente volta na sexta e vai voltar a dialogar. Deveremos ter nos próximos dias qual será a proposta da nova Previdência.

Na área econômica, o plano prevê o combate às fraudes nos benefícios do INSS (que já foi apresentado numa medida provisória), a abertura econômica e a independência do Banco Central. O governo apresenta a agenda como “marco na boa governança pública do Brasil”.

Na pasta comandada pelo ministro Paulo Guedes, também foi colocada como meta a redução da máquina administrativa, o que incluiria a extinção de 21 mil cargos comissionados e funções gratificadas. Outro tópico da área é a intensificação do processo de inserção econômica internacional, corroborando o discurso de Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial de Davos.

Onyx destacou ainda a viabilização do megaleilão de petróleo do pré-sal, que poderia ocorrer no terceiro trimestre deste ano. Segundo ele, a medida vai fazer com o que o governo federal arrecade valores importantes que “vão auxiliar a própria Petrobras ”. Coma medida, o governo espera arrecadar R$ 100 bilhões.

No Ministério de Infraestrutura, as medidas prioritárias para os cem dias são a ampliação da malha ferroviária e amodernização da infraestruturação aeroportuária a partir de março. De acordo com o chefe da Casa Civil, 12 aeroportos vão a leilão em três blocos, e o governo espera investimentos de R$ 3,5 bilhões. No plano, há a previsão de que dez terminais portuários também sejam leiloados.


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas