Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Postos & ServiçosA mobilidade humana e os combustíveis

ABR 18, 2018

Leia artigo de Ozires Silva, presidente e co-fundador da Embraer, publicado na edição de abril/2018 da revista Postos & Serviços.

Por Ozires Silva
especial para Postos & Serviços - artigo publicado na edição de abril/2018

O mundo vem experimentando um processo de urbanização que certamente não poderá ser detido! É a mobilidade pessoal impregnando a cada um, desde um deslocamento dentro de uma cidade até uma longa viagem nacional, internacional, por terra, mar ou ar!

Na atualidade, cada habitante do planeta pode sair de onde está e se deslocar para onde quer ir, especificando o horário, usando uma variedade de tipos de veículos terrestres, aéreos ou navais. Tudo isto tem origem e um resultado da velocidade da vida que cresceu acentuadamente nas últimas décadas!

Mas, toda essa mobilidade é diretamente dependente dos combustíveis que impulsionam os veículos que usamos. E os combustíveis, em sua grande maioria, são derivados do petróleo. No Brasil há também algo a ser considerado sobre o nosso sistema de produção e de distribuição dos combustíveis. Diferentemente de muitos países, dificilmente cada Posto de Serviço, do nosso gigantesco país continental, deixa de abastecer os veículos nos milhares de municípios distribuídos em todo o território nacional! Do mesmo modo o serviço é rápido e eficiente, graças à organização geral, de grande eficácia, num país onde a crítica é mais consagrada do que os elogios!

Uma inovação brasileira, também não encontrada no mundo, é a do uso do etanol, fazendo com que o nosso país seja o único que respondeu melhor ao problema do consumo através de um combustível renovável.

Ao lado desses sucessos, cabe uma pergunta na atualidade, os Postos de Serviço que viabilizam a mobilidade irão existir (ou resistir) às transformações do futuro? Estamos nos momentos em que se sente intensamente novos caminhos da tecnologia, mudando coisas que não imaginávamos há menos de 30 anos.

Veja-se o caso do telefone celular. Em 1991 saímos de um país de menos de 2 milhões de telefones para um, hoje, da ordem de 270 milhões!!! Uma enorme transformação ao lado de muitas outras que mudaram nossas vidas, e numa direção que não esperávamos!

No caso dos Postos de Serviço fica a pergunta. Os futuros novos veículos serão elétricos, tendo as baterias como fontes de energias? Como serão reabastecidos, com a eletricidade da rede pública ou com o uso do hidrogênio como fonte através de células combustíveis? Nestes casos, qual seria a participação dos Postos de Serviço atuais, além da sua natural vocação de alguma assistência aos veículos, em geral?

Com esses pensamentos começa-se a pavimentar o campo das ideias e das suas soluções. O passado já demonstrou que as previsões não se realizam nos passos das extrapolações sobre fatos anteriores. Ao contrário, a tecnologia pode, e vem rompendo com o passado, trazendo soluções absolutamente novas.

Isto leva aos interessados a pensar que mudanças ocorrerão. Em quais direções, não se sabe, mas os negócios das empresas precisam sobreviver! E essa diversificação fica a critério de cada investidor ao longo dos novos cenários possíveis. Note-se que as Lojas de Conveniência podem ser um passo na nova direção. E podem surgir outras!!!

(Ozires Silva é engenheiro aeronáutico, foi ministro da Infra-Estrutura e ministro das Comunicações do Brasil, presidente e co-fundador da Embraer, presidente da Petrobras e da Varig. É reitor da Unimonte desde 2008)


Comentários

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas