Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

História

Em 23 de abril de 1993

A primeira bomba de gasolina instalada em uma rua da América do Sul começou a funcionar em Santos em 1919, em frente ao que hoje é o Atlântico Hotel, na esquina da praia com a Avenida Ana Costa, bairro Gonzaga. Naquela época, contava-se nos dedos o número de veículos automotores que circulavam pela Cidade. Só para se ter uma ideia, em 1921, a média diária de tráfego entre Santos e São Paulo era, nos dois sentidos, de 82 automóveis. Quase 75 anos depois, Santos se transformou em uma das cidades com maior índice de motorização, com 288 mil veículos licenciados em 2015. Ao lado das demais cidades da Baixada Santista, a frota atinge 790 mil veículos, que se somam aos 101,5 mil registrados no Vale do Ribeira.

O Sindicombustíveis Resan está presente na vida dos revendedores de combustíveis da região desde 23 de abril de 1993, quando o sindicato foi fundado oficialmente por empresários que defendiam trazer para a base regional as discussões trabalhistas e sindicais relacionadas à categoria. O objetivo maior era criar um elo entre o revendedor local e as questões estaduais e nacionais da revenda.

Depois da fundação, o passo mais importante na história do sindicato foi a construção e inauguração de sua sede própria em 27 de abril de 2000, à Rua Manoel Tourinho, 269, no bairro do Macuco, em Santos. O prédio de três andares têm 468,55 m2 de área construída, e conta com um auditório onde são realizados cursos e treinamentos de funcionários, além das assembleias com a categoria.

Linha do tempo