Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Lucro da Stone cresce 603% no início do ano, a R$ 186 milhões

14 Maio 2019

Fonte: Valor Econômico

Em meio ao acirramento da concorrência no mercado de credenciamento de cartões, a Stone registrou um lucro líquido ajustado de R$ 186,3 milhões no primeiro trimestre, 603% superior ao do mesmo período do ano passado. O resultado contábil aumentou 617%, para R$ 177 milhões.

Segundo o presidente da Stone, Thiago Piau, a empresa não sentiu o impacto da redução ou isenção de taxas dos concorrentes. “Essas campanhas não estão afetando a nossa capacidade de crescer”, disse o executivo, em teleconferência com analistas na noite de ontem.

No primeiro trimestre, as receitas totais somaram R$ 535,8 milhões, avanço de 86% em comparação ao mesmo período do ano passado. Com a conquista de 40,6 mil novos clientes no primeiro trimestre, a Stone alcançou uma carteira de 309,7 mil varejistas em março. O volume total de pagamentos que passaram pelas “maquininhas” da empresa foi de R$ 26,5 bilhões de janeiro a março, crescimento anual de 60,1%.

A chamada “take-rate”, taxa que mostra o ganho em cada transação, ficou em 1,86% no primeiro trimestre, alta de 17 pontos percentuais em um ano. A margem ajustada foi de 34,8%, um avanço de 25,6 pontos percentuais.

Em provocação aos concorrentes, Piau diz que o modelo do negócio tem permitido “ganhar participação de mercado sem a necessidade de atrair novos clientes com preços não transparentes ou forçar os clientes a aceitar produtos que não desejam”.

A Stone quer se tornar um ecossistema de soluções integradas de software, pagamentos, bancos e crédito. A venda de produtos e o suporte aos clientes têm sido feitos por “hubs”, escritórios localizados próximo aos varejistas. A empresa tem investido para ampliar essas estruturas.