Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Preço da gasolina contraria inflação baixa e sobe 25% em seis meses

12 JAN 2018

Globo.com (Jornal Nacional)

Confira reportagem do Jornal Nacional clicando AQUI.

12/01/2018 – Um preço que está na contramão dessa inflação mais baixa é o da gasolina, que subiu 25% só de julho para cá.

A gasolina mais cara do país é a do Acre: R$ 4,80 por litro, em média. Depois vêm o Rio e Goiás. A gasolina mais barata é no Maranhão. O preço médio cobrado no Brasil é R$ 4,15 por litro. Mas, no Rio de Janeiro, em vários postos, o preço da gasolina comum já passou dos R$ 5 o litro.

Aí, é hora de apertar o cinto. Como o Emerson, que parou de encher o tanque:

“Tem que diminuir. Porque senão não dá. Senão não sobra dinheiro”.

De 3 de julho a 28 de dezembro, a gasolina teve 115 reajustes. E aumentou 25% por causa da nova política de preços da Petrobras, mais flexível.

Os preços podem subir ou baixar, acompanhando a variação do dólar e do preço do petróleo no mercado externo, que cresceu mais do que o esperado.

“Na verdade, nós estamos repassando para o país o aumento do preço internacional dos combustíveis, como acontece com todas as commodities, as commodities agrícolas, todos os produtos agrícolas que têm preços determinado internacionalmente sofrem consequências quando tem aumento do preço internacional no mercado nacional. Então nós estamos seguindo no setor de combustível algo que já é natural para a sociedade brasileira em outros seguimentos”, destaca Alfredo Renault, professor de Economia da PUC-Rio.

Também teve uma contribuição dos impostos nessa gasolina mais cara. A alíquota de PIS e Cofins mais que dobrou. Então por que não adotar a mesma estratégia que a gente já usa no supermercado?

“A gente tem que pesquisar bastante. Hoje em dia tem divergência. De lugar para lugar. Procurando bem você consegue achar”, diz uma consumidora.

Essa é a mais pura verdade, porque só pesquisando é possível encontrar ofertas como a de um posto em Botafogo, Zona Sul do Rio. No local, a gasolina comum sai por R$ 4,72. Mas esse é o preço para quem vai pagar com cartão de crédito. Se você abastece e vai pagar com cartão de débito ou dinheiro, o preço cai 13 centavos, para R$ 4,59.

Pode parecer pouco, mas para quem vive rodando, vale muito a pena.

Se tudo o mais falhar, tem o conselho da Regina:

“A gente tem que deixar é o carro em casa. E andar mais de condução”.