Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Preços dos combustíveis podem aumentar 12% até o fim do ano

25 NOV 2021

Fonte: Diário do Comércio

As combinações de oferta e demanda, da inflação e dos cenários econômicos nacional e mundial ainda podem elevar os preços dos barris de petróleo, da gasolina e do diesel no Brasil em até 12%. É o que estima o professor da Fundação Dom Cabral (FDC) e membro da Comissão de Tecnologia e Inovação do Instituto Brasileiro de Petróleo, Hugo Tadeu.

A análise considera projeções realizadas com o auxílio da Plataforma Forecasting, da FDC, uma metodologia que, por meio de dados macro e microeconômicos, é responsável por apontar cenários de diversos setores da economia, como é o caso do petróleo e gás. As explicações para o cenário estão relacionadas, principalmente, às mudanças causadas pela pandemia da Covid-19, cenário que mudou a relação de oferta e demanda por combustíveis no Brasil, conforme explica o professor Hugo Tadeu.

“Nós precisamos lembrar que durante a pandemia tudo parou. As pessoas ficaram sem usar carro. Então, não havia demanda alta por combustíveis para o abastecimento. A produção industrial também se manteve parada por um tempo. E agora, todo mundo voltou para o mercado. E a gente (a Petrobras) não tem capacidade de refinar isso tudo. A Petrobras está precisando importar diesel”, pontuou o professor da FDC.

Ainda segundo Hugo Tadeu, os aumentos de 12% consideram apenas o ano de 2021. Contudo, o especialista chama a atenção para a entrada do período eleitoral com a chegada de 2022, o que pode trazer flutuações acima da projeção já sinalizada pela Plataforma Forecasting.

Outro ponto salientado pelo professor da Fundação Dom Cabral é que a própria constituição dos preços dos combustíveis que saem das refinarias brasileiras tem, para além dos custos de produção, aqueles relacionados aos riscos políticos e ao Risco Brasil.