Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Energia elétrica e combustíveis pesam na maior inflação em 25 anos para o mês de maio

10 JUN 2021

Fonte: EPBR

Os preços da energia elétrica e dos combustíveis pesaram na inflação oficial, que avançou acima do esperado pelo mercado em maio. O IPCA subiu 0,83%, atingindo 8,06% em 12 meses. É a maior taxa para o mês em 25 anos.

— Segundo o IBGE, o maior impacto individual do mês de maio veio da alta da energia elétrica (5,37%), que sozinha respondeu por 0,23 ponto percentual do IPCA.

— Também pesaram na inflação de maio os aumentos do gás de botijão (1,24%), gás encanado (4,58%), gasolina (2,87%), etanol (12,92%) e óleo diesel (4,61%).

— “Esse resultado do mês tem muito a ver com os [produtos e serviços] monitorados, principalmente energia elétrica e combustíveis”, explicou o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

— Em um ano, o diesel, combustível mais consumido no país, acumula alta de 39,26%. A gasolina subiu 45,80%, e o etanol, 65,24%. Valor

— Com a crise hídrica, a bandeira tarifária vermelha patamar 2, o maior acréscimo nas contas do sistema de sinalização de preços, deve ser aplicada até outubro, retornando ao patamar 1 em novembro. O patamar 2 significa um aumento de R$ 6,243 a cada 100 kWh consumidos. MegaWhat

— Os preços do petróleo seguem firmes acima dos US$ 70 por barril. O Brent registra uma variação pequena, de 0,5% na semana até o momento, mas permanece no patamar de US$ 72, sustentado pelas perspectivas de elevação da demanda.

— O dólar chegou perto de cair abaixo dos R$ 5, mas a alta da inflação no Brasil e o estímulo para compra pela desvalorização recente da moeda americana segurou a queda. No radar, a inflação dos EUA, que será divulgada nesta quinta (10), e a trajetória dos estímulos econômicos por lá, que podem voltar a dar força à moeda americana. Folha