Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Petróleo fecha em alta com perspectiva de melhora na demanda americana

9 JUN 2021

Fonte: Valor Econômico

O comércio hoje foi “um pouco instável e moderadamente volátil”, mas “não houve nenhum catalisador ou manchete significativa que mereça destaque”, afirmou Tyler Richey, co-editor da Sevens Report Research.
Os preços do petróleo de referência dos EUA atingiram US$ 70 o barril na segunda-feira, e isso "pareceu levar a alguma realização de lucros, mas a tendência técnica de médio prazo continua altista, sublinhada pela último rali, que levou os preços para máximas de vários anos", disse, ao MarketWatch.
Enquanto isso, as expectativas da demanda “permanecem otimistas, dados os esforços de reabertura global e a visão de que haverá algum grau de retorno à normalidade econômica nos próximos meses”, afirmou.
A produção conjunta de petróleo bruto da Opep+ subiu 430 mil barris por dia em maio, de acordo com uma pesquisa divulgada pela S&P Global Platts hoje. O aumento foi liderado pela Arábia Saudita, que respondeu por cerca de 84% do aumento mensal, mostrou a pesquisa.
Os dados da pesquisa mostraram que o cumprimento da Opep+ com seu acordo de produção atual tem sido "praticamente estável", em 111,45% em maio, em comparação com 111,16% em abril.
O relatório da S&P Global Platts sobre a produção da Opep+ pareceu reforçar que a conformidade com seu acordo é “historicamente alta e isso continua a reforçar a confiança dos investidores na Opep +”, disse Richey.
Enquanto isso, "os observadores estão começando a aceitar que levará algum tempo antes que as exportações de petróleo iraniano voltem ao mercado", disse Eugen Weinberg, analista de commodities do Commerzbank, destacando comentários do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, que disse não estar claro se o Irã estava disposto a cumprir as condições do acordo nuclear de 2015.
Os dados semanais sobre a oferta de petróleo nos EUA serão divulgados pelo Departamento de Energia na amanhã. Em média, os analistas consultados pelo "Wall Street Journal" preveem um declínio de 2,3 milhões de barris nos estoques de petróleo para a semana encerrada em 4 de junho. A pesquisa também mostra expectativa de aumentos de oferta de 300 mil barris de gasolina e 1,3 milhão nos barris de destilados. Para ler esta notícia, clique aqui.