Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Caminhoneiros que foram protestar na sede do governo Doria voltam a falar em greve

23 FEV 2021

Fonte: Folha de S. Paulo (Painel S.A.)

Depois de comemorar a intervenção de Bolsonaro na Petrobras, um grupo de caminhoneiros que foi até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de João Doria (PSDB), para protestar nesta segunda (22) saiu frustrado e voltou a falar em paralisação estadual.

?Eles pediam a redução do ICMS sobre o óleo diesel no estado mas não foram recebidos.

Segundo Marcelo da Paz, líder da categoria no Porto de Santos, que foi contrário à última rodada de ameaça de greve neste ano, os motoristas vão discutir sobre a possibilidade de uma paralisação estadual.

Em nota, o governo de SP disse que respeita todas as manifestações realizadas dentro de preceitos democráticos, mas que as tentativas de direcionar as reclamações à administração estadual demonstram que o protesto é político.

A Secretaria da Fazenda de SP afirma que o ICMS é responsável por uma fatia pequena do preço do diesel, com alíquota de 13,3% em São Paulo, uma das mais baixas do país.

Segundo Plínio Dias, caminhoneiro do CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas) que tentou organizar a greve frustrada neste ano, deve acontecer um protesto estadual no Paraná no sábado (27), na BR 116.