Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Ultra tem 2º tri melhor que esperado

13 AGO 2020

Fonte: Valor Econômico

A Ultrapar, holding do grupo Ultra, reportou desempenho operacional melhor do que o esperado pelo mercado no segundo trimestre. Embora o lucro líquido de R$ 41,1 milhões, atribuído aos acionistas da companhia, tenha ficado abaixo dos R$ 122 milhões do consenso do mercado, a receita líquida e o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado superaram a média das estimativas.

Em termos consolidados, o lucro líquido do Ultra foi de R$ 50 milhões, comparável a R$ 121 milhões no mesmo trimestre de 2019, refletindo a piora de desempenho da Ipiranga e da rede de varejo farmacêutico Extrafarma. Esse efeito foi parcialmente compensado pelo forte avanço da Oxiteno, que colocou uma nova fábrica em operação nos Estados Unidos e foi beneficiada pela desvalorização do real.

A receita líquida do grupo totalizou R$ 15,9 bilhões no trimestre, com recuo de 27% na comparação anual. O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado caiu 10%, para R$ 611 milhões. Sem considerar eventos não recorrentes, o Ebitda foi de R$ 599 milhões.

Como já era esperado, a Ipiranga foi a mais afetada pelas medidas de restrição à circulação decorrentes da pandemia, com queda forte no volume vendido de combustíveis em abril e recuperação gradual entre maio e junho. A rede registrou queda de 18% no volume vendido no segundo trimestre, para 4,63 milhões de metros cúbicos. A baixa mais acentuada, de 28%, foi vista no ciclo Otto (gasolina e etanol). A receita líquida caiu 32% na comparação anual, a R$ 12,4 bilhões, pressionada também pela menor preço de combustíveis. O Ebitda teve baixa mais forte, de 65%, para R$ 179 milhões, diante da forte perda de estoque no período. Como consequência, a margem Ebitda ajustado caiu de R$ 91 para R$ 39 por metro cúbico.

Já a Oxiteno foi beneficiada pela desvalorização de 38% do real frente ao dólar e pela melhora nas margens de contribuição em dólares, na esteira do mix de vendas e da operação da nova fábrica. De abril a junho, o Ebitda da produtora de especialidades químicas cresceu 261%, para R$ 162 milhões. A margem Ebitda triplicou em um ano, para US$ 180 por tonelada.

Ao fim do segundo trimestre, a dívida líquida da Ultrapar estava em R$ 11,1 bilhões, comparável a R$ 11,4 bilhões em março. A alavancagem financeira, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, ficou em 3,2 vezes, frente a 3,3 vezes três meses antes. O grupo levantou R$ 1,5 bilhão em novos empréstimos entre o fim de março e o início de abril para reforçar a posição de caixa, tendo em vista as incertezas produzidas pelo avanço da covid-19 no país.