Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e de Lojas de Conveniência, e de Empresas de Lava-Rápido e de Empresas de Estacionamento de Santos e Região – Sindicombustíveis Resan.

Alta da gasolina abre espaço para etanol recuperar terreno perdido

14 JUL 2020

Fonte: Valor Econômico

Os aumentos da gasolina vendida pela Petrobras em suas refinarias, que continuam a ocorrer neste mês em decorrência da recuperação do petróleo no mercado internacional, devem permitir ao etanol hidratado recuperar participação no mercado de combustíveis do país, embora a demanda, em geral, ainda esteja abaixo dos patamares observados no ano passado
Apenas neste mês, a estatal já elevou o valor da gasolina A (sem etanol anidro) em 8,12%. Considerando as elevações realizadas em maio e junho, após o combustível atingir o menor valor durante a crise, a alta acumulada já é de 80%. Com isso, a gasolina vendida às distribuidoras atinge agora R$ 1,6650 o litro, valor próximo ao registrado no início de março, antes da crise (R$ 1,6928 o litro).
A elevação do preço da gasolina pode ser uma oportunidade para que o etanol hidratado volte a ampliar sua participação nas vendas do ciclo Otto, que caiu com o derretimento dos preços do petróleo no início da pandemia - internalizado, em parte, pela Petrobras. Com as majorações já feitas pela Petrobras e seu repasse às bombas, o etanol já voltou a ser mais vantajoso nos quatro principais Estados consumidores do país: São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.
Martinho Ono, diretor da SCA Trading, avalia que, com as altas promovidas pela estatal neste mês, o preço da gasolina nas bombas deve superar os R$ 4 por litro, enquanto o etanol hidratado deve permanecer abaixo de R$ 3 o litro. “Essa diferença, na percepção do consumidor, tem relevância”, afirmou. Levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural, e Biocombustíveis (ANP) apontou que, em 4 de julho, o litro da gasolina nos postos paulistas estava, em média, a R$ 3,865, mas já superava os R$ 4 em Minas Gerais e em Goiás. Para ler esta notícia, clique aqui.